15 de Junho de 2019
Ribeirão Preto - SP
Asfixia Social
Asfixia Social
São Paulo - SP São Paulo - SP

Asfixia Social

Biografia

Desde 2007 na estrada, o Asfixia Social conta com um histórico de 2 CDs e 2 DVDs lançados, tendo se tornado uma das principais bandas do underground brasileiro. Dos shows enérgicos ao intenso ativismo, atraiu a atenção de público e crítica pela mistura original entre rap, punk, ska, dub, hardcore, jazz, raggae, funk, metal, música brasileira, e letras que retratam o cotidiano do grupo na periferia de São Paulo.

“A Guerra tá na sua porta, não só em Bagdá!” (2008) e “Da Rua pra Rua” (2011) trazem toda essa identidade, com versões em formato Vinil 12’’ no Brasil e Europa (2012) e em formato DVD nos documentários “Asfixia Social – Da Rua pra Rua” (2014) e “Cuba Punk – Asfixia Social” (2015). De São Paulo para festivais ao redor do país e exterior, a banda acumula uma dezena de prêmios ligados à cultura popular, com destaque o Prêmio da Cultura HipHop (Fundação Nacional das Artes, 2014) e shows na Bienal de Arte de Havana (Cuba, 2015), no Festival River Rock 2017 (Indaial, SC) e na Semana Internacional de Música – SIM São Paulo 2018.

Ao completar 12 anos de estrada em 2019, o Asfixia Social anuncia o lançamento do Livro-Disco “Sistema de Soma: A Quebrada Constrói” no Brasil e Europa, com a turnê "Where's Democracy? Not in Brazil", passando por festivais e casas de show em países como Inglaterra, França, Bélgica, Holanda, Alemanha, República Tcheca e Portugal. O Livro-Disco contém 10 canções inéditas e é fruto de um intenso trabalho de arte-educação, com oficinas e shows, buscando resgatar a essência crítica do pensamento, ilustrado por mais de 1.000 alunos de 12 escolas públicas de São Paulo e ABC paulista ao longo de 3 anos. O formato Livro+CD tem produção de Marcelo Sampaio (Estúdios TopNoise) e conta com importantes parcerias musicais e audiovisuais junto ao rapper GOG (DF), MC El Cepe (Cuba), Karen Santana (Penumbra MC), DJ Tano (Z'África Brasil), Bocato (trombone) e o trompetista italiano Gabriel Rosati.

Comentários