Biografia

Esta é, com muito empenho e dedicação, a banda com o quarto coral mais desafinado do Brasil.

Como se já não bastasse a falta de harmonia do jogo de vozes, que eles insistem em tentar fazer, eles ainda tocam com TRÊS GUITARRAS, que raramente afinadas, proporcionam um som ímpar. É MUITO BARULHO.

Nada recomendado para a saúde dos seus ouvidos, o som da Dona Olga conta com um baixista que vive em busca das notas certas, e o alto nível alcoólico geralmente atrapalha esse objetivo.

Com o ritmo nada preciso martelado pelo baterista, a banda consegue ficar não só desafinada, como fora do tempo.

Todos estes fatores, unidos as vozes principais desgastadas pelo alto nível de tabaco e café, transformam tudo isto em uma experiência INENARRÁVEL!

Sem a menor sombra de dúvidas, o som da Dona Olga representa com a maior e total certeza algo que absolutamente em hipótese nenhuma pode chegar a qualquer circunstância que se permita em quaisquer vias de fato possíveis e imagináveis ser considerado um programa e/ou experiência que possa se permitir deixar de tentar em algum momento não assistir.

Comentários

Utilizamos cookies de terceiros para personalizar anúncios e melhorar a sua experiência nos canais oficias do festival. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.