15 de Junho de 2019
Ribeirão Preto - SP

Blog

Rock das Mangueiras

Rock das Mangueiras

A noite de 27 de setembro de 2019 foi de festa para quase 100 crianças e seus familiares, que participaram do encerramento de mais um ciclo do Rock das Mangueiras, projeto social promovido desde 2017 pelo João Rock e que atende crianças e adolescentes de 6 a 15 anos, assistidos pela Casa das Mangueiras, uma ONG que atua desde os anos 1970 na zona norte de Ribeirão Preto/SP.

A festa contou com apresentação dos alunos que participaram, desde novembro do ano passado, das oficinas de musicalização infantil, danças urbanas, violão popular e percussão. A noite musical teve ainda um show da banda formada por professores do projeto, tocando clássicos do rock nacional.

     

Quatro vezes por semana, a galera da Casa das Mangueiras se entrega ao rock’n roll e aos seus ritmos parceiros, com as aulas dos professores Felipe Pitoresco (musicalização infantil), Aline Juliana Vilela (danças urbanas), Freddy Aguiar (violão popular) e Deva Mille (bateria e percussão).

“A musicalização é um processo de construção do conhecimento que favorece o desenvolvimento da sensibilidade, criatividade, senso rítmico, do prazer de ouvir música, da imaginação, memória, concentração, atenção, do respeito ao próximo, da socialização e afetividade, também contribuindo para uma efetiva consciência. É possível favorecer com a música a socialização e a autoestima, sendo, portanto, uma grande aliada no desenvolvimento e transformação da criança e do adolescente”, avalia Maria de Lourdes Pereira da Silva, coordenadora operacional da Casa das Mangueiras.


   

Para Freddy Aguiar, professor de violão popular e coordenador pedagógico do projeto, a música trabalha aspectos de desenvolvimento pessoal, como atenção, foco, disciplina, saber ouvir o outro, bem como aspectos do desenvolvimento neuropsicomotor, por meio do contato com os instrumentos e seus acordes, que ajudam a criar memórias sensoriais, auditivas, visuais e espaciais, entre outras. “A música, assim como as artes como um todo, contribui para o desenvolvimento global das crianças”, diz.

“A música e a arte são como botes salva vidas. Vivemos em um mundo onde estamos atolados de problemas, de guerras, violência, ódio, opressão, depressão, entre tantas outras coisas negativas que nos rodeiam e ameaçam nos submergir. Nesse cenário, as artes são as boias que nos permitem subir à tona e vislumbrar a luz”, completa Felipe Pitoresco, responsável pelas aulas de musicalização infantil do projeto.




Apoiadores

O Rock das Mangueiras começou por meio do sistema de Cortesias Solidárias, lançado em 2016. Funciona assim: ao invés de simplesmente ceder ingressos do festival para seus patrocinadores e parceiros, a organização do João Rock faz a troca das entradas por valores simbólicos. Todo o valor arrecadado é revertido para a manutenção do projeto musical, além da colaboração dos apoiadores Guitar Music Shop (doação de instrumentos), Sherwin Williams (doação de tintas e material para pintura), Paulo Sérgio André Empreiteiro (mão de obra para as reformas e reestruturações prediais), MGF e DTP Comunicação Visual (estrutura de comunicação visual do projeto) e Phábrica de Ideias (assessoria de imprensa).

Em 2018 e neste ano, o Rock das Mangueiras ganhou o reforço das empresas Rodonaves RTE e Sucos Spres, patrocinadores do projeto por meio do Proac ICMS (lei de incentivo à cultura no Estado de São Paulo).

Segundo Freedy Aguiar, um novo ciclo já está em andamento, graças aos recursos do sistema de Cortesias Solidárias, e um novo projeto já está aprovado no Proac ICMS, com captação de recursos prevista para acontecer até abril do próximo ano. Vida longa ao Rock das Mangueiras!

Conteúdo produzido por Ângelo Davanço 

Comentários